quarta-feira, 16 de junho de 2010

A POESIA QUOTIDIANA


Jean de La Fontaine


"Mas na natureza humana não há para o esforço outra fonte de energia senão o desejo. E não é próprio do homem desejar aquilo que tem. O desejo é uma orientação, um começo de movimento em direcção a alguma coisa. O movimento dirige-se a um ponto onde não estamos. Se o movimento apenas começado se fecha no ponto de partida, anda-se à volta como um esquilo na gaiola, como um condenado numa cela. Andar à volta provoca sempre agonia.

A agonia, a lassidão, a repulsa é a grande tentação dos que trabalham, sobretudo se estão em condições inumanas, e mesmo noutros casos. Por vezes ataca mais os melhores essa tentação."

"Condition première d'un travail non servile" (Simone Weil)



Em linguagem de gestor modernaço, isto quer dizer que mesmo se és pago principescamente para exercer uma função, porque isso é qualquer coisa que já tens, não te sentirás suficientemente motivado para fazer o esforço que conta. Daí os estímulos e os prémios para animar os que são mais bem pagos a fazer aquilo para que são pagos.

Como se vê, é o mesmo problema abordado por Simone Weil, mas aplicado já não ao operário do trabalho à peça mas, como diria La Fontaine, aos animais maiores, dos quais não se espera que trabalhem em "condições inumanas".

O remédio para a agonia e a lassitude que provoca o esforço sem desejo depende do grau de necessidade. Aquele que pode extrair as suas energias do poder do dinheiro encontrou uma espécie de solução.

"Mas uma vez que o povo é constrangido a limitar todo o desejo àquilo que já possui, a beleza é feita para ele e ele é feito para a beleza. A poesia é um luxo para outras condições sociais. O povo tem necessidade de poesia como de pão. Não a poesia encerrada nas palavras; essa para ele não tem qualquer utilidade. Ele tem necessidade que a substância quotidiana da sua vida seja ela mesma poesia. Uma tal poesia só pode ter uma fonte. Essa fonte é Deus." (ibidem)

Hoje que, depois do ópio da religião, já conhecemos o ópio revolucionário, podemos compreender melhor este "privilégio". ("C'est là leur privilège. Ils sont seuls à le posséder.")

1 comentários:

Claudia Lawrence disse...

You have a very good blog that the main thing a lot of interesting and
useful!hope u go for this site to increase visitor.